domingo, 22 de março de 2020






Lançada a ação internacional de Schoenstatt. uma grande rede de coroação da Mãe e Rainha no mundo todo. Uma resposta como Família de Schoenstatt e como Igreja, diante da crise do coronavirus.

Maria luz de esperança!

#CORONAmater









Que neste tempo de aflição possamos confiar como nosso fundador confiou, rezando essa oração composta por ele no Campo de Concentração 🙏🏻




domingo, 14 de abril de 2019

ESPECIAL SEMANA SANTA - DOMINGO DE RAMOS




Domingo de Ramos da Paixão do Senhor
“Ora, se morremos com Cristo, cremos que também com Ele viveremos”. (Rm 6,8).

Queridos irmãos e irmãs schoenstatteanos

Chegamos no Domingo de Ramos, após cinco semanas do tempo quaresmal. Esse domingo, muito especial na liturgia, conclui o Tempo da Quaresma e abre as Liturgias da Semana Santa, ponto mais alto da vida cristã, pois culmina com o Tríduo Pascal, quando celebramos a Ceia do Senhor, sua Paixão, Morte e sua Ressurreição. Serão momentos fortes, momentos que renovam nossa fé.

Santo, Santo, Santo!

Pois bem, nesse clima de expectativa, a liturgia deste Domingo de Ramos nos traz duas proclamações do Evangelho. No primeiro Evangelho narra-se a entrada triunfal de Jesus em Jerusalém, quando o povo, com os ramos nas mãos, gritam: Hosana ao Rei, hosana nas alturas...bendito o que vem em nome do Senhor. Momento este que foi eternizado ao Cristianismo, eternizado na história, pois, no rito da Eucaristia, a cada celebração repetimos as mesmas palavras, proclamando o Santo, Santo, Santo! É o cumprimento da Profecia de Zacarias (Zc 9, 9-10), que diz textualmente: “Alegra-te muito ó filha de Sião, exulta, ó filha de Jerusalém; o teu rei vem a ti; ele é justo e traz a salvação; ele é humilde e vem montado num jumento, num jumentinho, filho de jumenta”. Jumento nunca montado remete à tradição de que a monta deste animal, em dias de festa, era prerrogativa dos reis. Aliás, o jumento foi um animal mais que privilegiado, pensem bem: esteve presente na vida de José, quando este levou Maria a Belém para o recenseamento, e presenciou o nascimento de Jesus na gruta, onde a tradição da Igreja diz que ele aqueceu o menino, junto com os outros animais presentes. Depois, levou a família de Nazaré na fuga para o Egito e os trouxe novamente para a Galileia. É, de fato, um animal privilegiado.

Jesus, portanto, cumpre a profecia de ser proclamado rei e de se apresentar como o Messias, que o povo escolhido – povo de Israel – esperava há milênios. Que a cada celebração, quando cantarmos o Santo, junto com o coro celeste dos anjos, o nosso coração se rejubile junto ao Rei. Jamais cante desatento essa linda proclamação, que há milênios a Igreja faz ao seu Senhor.

Depois da proclamação de Rei, vem a cruz

A liturgia, bem como Evangelho central deste Domingo, é a Paixão e Morte do Senhor. Como dissemos, os Ramos são a entrada, mas as Leituras e o Evangelho central se referem à narrativa da Paixão e Morte do Senhor. Isso porque a Liturgia da Igreja é realizada a cada domingo, ou seja, no próximo Domingo será o Evangelho da Ressurreição. Entenda que nos outros dias da semana, principalmente no Tríduo, cada dia terá as suas leituras específicas.

O Servo sofredor

As leituras remetem ao Servo obediente ao Pai, que se entregou por nós, aceitando todos os castigos, de todas as formas e violências inimagináveis, como nos diz o Profeta Isaías:

“Ofereci as costas para me baterem e as faces para me arrancarem a barba; não desviei o rosto de bofetões e cusparadas. Mas o Senhor Deus é meu Auxiliador, por isso não me deixei abater o ânimo, conservei o rosto impassível como pedra, porque sei que não sairei humilhado” (Is 50, 7-8).

Já Paulo, na Carta aos Filipenses, com a profecia cumprida e o Senhor Ressuscitado, diz que, por ter aceitado todo esse sofrimento, por ter obedecido, por ter se colocado na condição de servo, de escravo, o bom Deus o exaltou acima de tudo e de todos, tornando seu nome glorioso, onde até nos infernos os joelhos devem se dobrar diante do nome de Jesus. É o Senhor vitorioso.

“Jesus Cristo, existindo em condição divina, não fez do ser igual a Deus uma usurpação, mas ele esvaziou-se a si mesmo, assumindo a condição de escravo e tornando-se igual aos homens... humilhou-se a si mesmo, fazendo-se obediente até a morte, e morte de cruz. Por isso, Deus o exaltou acima de tudo e lhe deu o Nome que está acima de todo nome. Assim, ao nome de Jesus, todo joelho se dobre no céu, na terra e abaixo da terra, e toda língua proclame: 'Jesus Cristo é o Senhor', para a glória de Deus Pai” (Fl 2, 6-11).

E no Evangelho de Lucas (Lc 23,1-49) temos a narrativa de Jesus diante de Pilatos com o seu julgamento e condenação. São cenas fortes, mas que, ao mesmo tempo, nos permitem refletir sobre o quanto Jesus nos ama, intensamente. É o doar a vida por nós, como diz o belo canto: “Prova de amor maior não há que doar a vida pelo irmão! ”.

O sofrimento com meio de salvação

A reflexão deste domingo é para ajudar-nos a crer que assim como o Filho de Deus sofreu, o sofrimento faz parte também de nossa história, de nossa vida. Não há como fugir dos percalços da vida. Mas, ao mesmo tempo, é um ensinamento profundo de quanto devemos confiar em Deus Pai e na sua providência, pois Ele jamais nos abandona. Ele não dá o fardo maior do que nossos ombros suportam carregar. São os designíos de Deus. O importante nesse momento é olharmos para Jesus e ver como a alternância de valores acontece muito rapidamente. Aqueles mesmos que o exaltaram foram os que gritaram: crucifica-o. Cuidado no engano dos elogios e mais cuidado ainda em seguir a multidão. Cuidado para não seguir os lobos, que são aqueles que fazem o povo de massa de manobra. Será que muitas vezes não pode acontecer o mesmo com nós mesmos? Na liturgia proclamarmos Jesus como Senhor e no dia a dia nos transformarmos no homem massa, manipulado, indo com a maioria, como diz nosso Pai e Fundador, Pe. José Kentenich? Um tema a se meditar.

Entraremos na Semana Santa num clima profundo e apropriado para a reflexão, para a meditação. Uma 
semana de silêncio interior. Lembro-me da infância que, em casa, era: nada de som, nada de televisão, nada de extravagância no comer. ‘Sobriedade’ era a palavra. Não estamos falando apenas de tradição, estamos falando do respeito, do sério cultivo da interioridade, da autoeducação, da aspiração ao alto, pois a grandeza da Eucaristia e da Palavra de Deus é fazer memória e não contar história. Tudo acontece novamente. É preciso fechar os ouvidos aos barulhos do mundo, para que possamos escutar a voz doce do Senhor, a doce voz de sua Mãe, a brisa suave do Espírito. É preciso se colocar ao lado do Cristo sofredor, se colocar em pé, junto com nossa Mãe, aos pés da cruz.
Acalmar e silenciar o coração, eis o segredo.

Rezemos:

 “Mãe das Dores, minha Mãe, nos momentos de opressão e dificuldades, quem poderia entender-me melhor do que tu?! Consoladora dos aflitos, Auxílio dos Cristãos, concede-me algo de teu ânimo e coragem no sofrimento, para suportar tudo quanto o bom Deus previu para mim, por amor. Ajuda-me, para que tudo seja transformado em dor redentora, para mim e para todos os que me são confiados! ” (Pe. José Kentenich)

Desejamos a todos um bom domingo e uma excelente Semana Santa, semana verdadeira dos cristãos... dos schoenstattianos, dos filhos amados de Deus. Infinitamente amados, que acompanham seu Senhor, onde Ele estiver.

Em tempo: não se esqueçam de guardar os Ramos durante todo o ano, em algum lugar nobre da casa. São ramos abençoados, que nos acompanharão durante todo o ano, não como superstição, mas sim como memória de que seguimos Cristo e o aclamemos como Rei. Os ramos no ano seguinte – secos – são queimados e utilizados nas cinzas, da quarta-feira de cinzas.
Sempre desejamos aos outros que tenham uma santa semana. Pois essa é a própria, literalmente!
Se aproprie das graças que ela produz.

Romulo e Márcia Romanato – União de Famílias de Schoenstatt/SP


sexta-feira, 15 de fevereiro de 2019

ANDAMENTO DAS OBRAS DA CASA DE RETIRO PADRE JOSÉ KENTENICH

As obras em nosso Santuário estão a todo vapor!

A etapa atual, que tem movimentado a construção da Casa de Retiros Padre José Kentenich, é a estruturação da rede de esgoto. Além de mais comodidade para aqueles que participam das missas em nossa capela, essa etapa permitirá que nossos ramos e comunidades utilizem as salas de reunião com mais conforto e tranquilidade.

Confira:





Gostaria de nos ajudar e não sabe como?
Entre em contato conosco! 

(Escrito por Ana Paula Paiva)

terça-feira, 12 de fevereiro de 2019

CONVITE






VENHA SELAR SUA ALIANÇA DE AMOR COM MARIA!

A Aliança de Amor é uma troca de corações, de bens e de interesses. Por meio dela vivemos, à nossa maneira, nossa Aliança Batismal, e somos conduzidos à Jesus pelas mãos de Sua querida Mãe. Lhe entregamos tudo o que somos e temos e, em amor e retribuição, Maria nos entrega o que tem de mais precioso: Seu Filho.

Você pode se preparar para fazer sua troca de corações com Maria em dois locais diferentes: na Paróquia Santíssimo Sacramento e no Santuário de Schoenstatt. Confira as datas desse primeiro semestre:

Para mais informações e inscrições, entre em contato com a secretaria paroquial (Paróquia Santíssimo Sacramento) ou com a loja de nosso Santuário. Esperamos você!

(Escrito por Ana Paula Paiva)

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019

Nossa JUFEM tem um convite para você!




A Mãe nos convida diariamente para irmos ao seu encontro, cabe a nós estarmos dispostas a dizermos “Sim Mãe, eis-me aqui, faça-se em mim segundo a Tua palavra”. E é com esse ardor de entrega que nós, da Juventude Feminina de Schoenstatt iniciaremos o ano de 2019 com o acampamento “Jardim do Meu Ser”!

Com o objetivo de vivenciar o amor de Maria e conhecer um pouco mais do jardim que existe no interior de cada uma de nós, convidamos todas as meninas de 14 a 22 anos para estarem conosco nesse momento único! O acampamento terá início as 15h do dia 23/02 e encerrará no dia 24/02 com a missa das 11h, no Santuário de Schoenstatt, com o valor de 20 reais. Será uma experiência de espiritualidade, dinâmicas, alegria, vivência e novas amizades.

Esperamos cada uma de vocês! 
Venha conhecer esse Reino de Alegria, um lugar onde o Céu toca a Terra!

“Cumpra-se, oh Pai, somente o teu querer. Que a pureza resplandeça em nosso viver. Toda bela és Maria, Maria queremos ser, Tabor para o mundo e no Santuário permanecer”.

Em caso de dúvida ou para saber mais, entre em contato com Heloísa Benato: (41) 99683-1136


(Escrito por Heloísa Benato, JUFEM)

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2019

ABERTURA DO ANO DA FAMÍLIA

Com muita alegria queremos convidar a todos para participar da
ABERTURA DO ANO DA FAMÍLIA DE SCHOENSTATT DE CURITIBA




14h00m: Acolhida
14h30m: Oração Inicial
15h00m: Jubileu dos 70 anos do 31 de maio de 1949
16h30m: Trabalhos em grupo
17h30m: Intervalo
18h00m: Vivência
19h00m: Missa
Após a missa: Confraternização

Dia: 16 de fevereiro de 2019
Local: Capela da Casa de Retiros de nosso Santuário

Venha celebrar conosco! Esperamos vocês!

(Escrito por Ana Paula Paiva)

domingo, 23 de dezembro de 2018

Retrospectiva: Jubileu de Páscoa do Pai Fundador

Confira os vídeos dos melhores momentos da cerimônia, realizada no dia 15 de setembro de 2018, nos links abaixo:

Abertura da cerimônia - https://youtu.be/A3lT1TUvhyk
Homenagens ao Padre José Kentenich - https://youtu.be/1fb9o8WsPQE
Preces ao Padre José Kentenich - https://youtu.be/KxLF-q3fBj8
Missa Solene (Parte 1) - https://youtu.be/Jmp6Q6u01IM
Missa Solene (Parte 2) e Final -  https://youtu.be/34FKpSL8Jd8


sábado, 22 de dezembro de 2018

Encerramento do ano com renovação da aliança, Cetro da Permanente Presença do Pai e coral de crianças


Fotos - Geni Hoss, Joelma Polli e Renata Orsato
Texto - Renata Orsato

A noite do dia 18 de dezembro foi linda e iluminada. O clima estava muito agradável no Santuário Tabor Magnificat, não somente por conta do ar refrescante, mas também pelo amor dos que estavam ali para renovar sua Aliança de Amor com a Mãe de Deus pela última vez em 2018. 



Às 20 horas teve início a Santa Missa, direcionada especialmente para agradecer por tudo o que o Movimento Apostólico de Schoenstatt de Curitiba/PR viveu neste ano, todas as graças recebidas e a vida que se manifestou em todas as atividades desenvolvidas ao longo dos últimos 12 meses. Além disso, também foram renovados o compromisso com a autoeducação e a entrega nas mãos de Maria, e todos que trouxeram o Menino Jesus ao Santuário receberam uma bênção especial.



Após, houve uma apresentação emocionante do coral formado por crianças, que entraram com velas e cantando "Aleluia". Também foi prestada homenagem às Irmãs de Maria que partem para uma nova jornada (Ir. M. Sandra, Ir. Marineuza e Ir. Inês Maria) e à Equipe de Comunicação, pelo trabalho que tem desenvolvido desde 2017 e que se renovará em 2019.


Mas as surpresas não pararam por aí. As Irmãs de Maria apresentaram a todos os que ali estavam o Cetro da Permanente Presença do Pai. Ainda, ao final da solenidade foi montado o Presépio com a ajuda dos presentes, junto a mais uma apresentação do coral para louvar o nascimento do Menino Jesus. Ao final, ocorreu a tradicional queima do Capital de Graças.





Cetro da Permanente Presença do Pai

O Cetro esteve nas mãos do Fundador do Movimento de Schoenstatt no ano de 1949, quando na ocasião ele coroou a Mãe de Deus como Rainha da Filialidade Heroica, entregando a ela a coroa e o cetro. A coroa simboliza a realeza e o cetro o poder. 

De acordo com a Irmã M. Sandra, "Padre Kentenich proclamou em oração: Tu podes e tu deves reinar para que nós possamos nos tornar filhos". A Província Tabor, do Instituto de Irmãs de Maria sediado em Santa Maria/RS, ficou responsável pela guarda da coroa e do cetro, pois era a única província de irmãs no Brasil. Em 1975, quando foi criada a segunda província, a coroa ficou no Santuário Tabor de Santa Maria/RS e o cetro foi encaminhado para a Província Schoenstatt-Tabor, do Instituto das Irmãs de Maria sediado em Atibaia/SP. Desde meados do mês de dezembro o cetro está peregrinando pelos diversos regionais do Sudeste e nesta semana chegou a Curitiba/PR.

"Nós recebemos o presente de termos esse cetro neste Natal junto de nós. Neste ano, a Família de Schoenstatt, particularmente aqui de Curitiba, tornou-se mais família. O cetro vem como um agradecimento do nosso Pai Fundador por sermos família, encerrando o Ano do Pai Fundador. Desejamos a todos um Feliz Natal, queremos que o ano de 2019 seja de mais intensa unidade da Família de Schoenstatt, de maior crescimento aqui em Curitiba, para que nós possamos honrar cada vez mais a Mãe de Deus e nos tornarmos dignos de termos um Santuário dela tão perto de nós. Muita paz e muita alegria com a presença de Cristo entre nós", finalizou a Irmã M. Sandra.


segunda-feira, 17 de dezembro de 2018

Convite especial para as crianças neste dia 18/12




Olá Família de Schoenstatt!
O berço para o Menino Jesus está sendo preparado em nossa Família de Schoenstatt! Que ótimo, assim nesta renovação da Aliança de Amor e encerrando o ano com muitas graças e conquistas  a  Família de Curitiba, está convidada para Missa das 20 horas, levando o Menino Jesus para a benção, assim agraciamos e santificamos  nossos presépios.
Convidamos os pais que tragam suas crianças, dentro do possível, vestidas de anjos ou pastores para uma participação especial nesta noite de muita alegria e celebração.
Após a queima do Capital de Graças faremos a confraternização com lanche comunitário.
Contamos com suas presenças para este momento especial. Solicitamos que divulguem em seus grupos e comunidades.

Em nome  do Conselho,
Muraro e Goreti