terça-feira, 18 de abril de 2017

Curitiba e Porto Amazonas presentes na 19ª Cruzada do Homem Novo


Caminhada realizada durante a Semana Santa reuniu 220 jovens, que percorreram 80 quilômetros de Londrina/PR até Cornélio Procópio/PR


Impulsionados pelo lema do seu ramo para o ano de 2017, “Com Maria, Geração Missionária: ou Cristo ou nada!”, cerca de 220 membros da Juventude Masculina (Jumas) de Schoenstatt dos Regionais Paraná e Sudeste participaram da 19ª Cruzada do Homem Novo. Eles caminharam 80 quilômetros de Londrina a Cornélio Procópio tendo como objetivo o aprofundamento de sua espiritualidade durante a Semana Santa. Foram três dias de caminhada, passando pelas cidades de Londrina, Jataizinho, Uraí e Cornélio Procópio.

A caminhada foi dividida da seguinte forma: na quinta-feira os jovens percorreram 25 quilômetros saindo do Santuário Tabor Esmagadora da Serpente, em Londrina, pela manhã, em direção à cidade de Jataizinho; na sexta-feira, quando se recordou a paixão do Senhor, foi o dia mais desafiador, pois o grupo percorreu 35 quilômetros de Jataizinho à cidade de Uraí e, finalmente, no sábado, caminhou 20 quilômetros de Uraí com direção ao Santuário Tabor da Fidelidade à Igreja, em Cornélio Procópio. A caminhada era somente pela manhã e tarde, após, os demais momentos eram destinados ao descanso, às celebrações litúrgicas de cada dia e também à espiritualidade com as vivências da noite.

Alex Souza e Robson Popoatzki foram os escolhidos para representar as cidades de Curitiba e Porto Amazonas. Robson relatou um pouco da sua experiência com este ato heroico: “Pude vivenciar a Semana Santa de uma maneira especial, como jamais havia feito antes, pois a vivência de Schoenstatt é algo incrível, especialmente no Jumas, pois tive a oportunidade de conviver melhor com os meninos de outras cidades do Paraná, como Ibiporã, Maringá, Londrina, Cornélio Procópio e São Sebastião da Amoreira, e aprender com eles como funciona o ramo nas suas cidades, assim, me animei ainda mais com a missão de ajudar o Jumas Porto Amazonas, Curitiba e Rio Negro a crescer!”

Já Alex, que estava em sua 4ª participação na caminhada, ressaltou a importância deste ato e também a emoção de estar presente mais uma vez: “Eu fico muito feliz em poder retornar e vivenciar minha Semana Santa sempre diferente e de forma mais forte, pois assim eu realmente consigo entregar todas as dores e dificuldades da vida, em prol da santificação e fidelidade à Missão que Deus tem para cada um de nós, seja ela qual for. E isto se torna ainda melhor quando encontramos amigos de ramo que fazemos ao longo da caminhada de fé, unidos nos mesmos propósitos e na Aliança de Amor com a Mãe de Deus. É emocionante”.  

Realmente não é fácil encarar o trajeto inteiro, porém, com muita fé e lembrando, principalmente, da entrega de amor que Cristo fez pela humanidade, todos se revestiram de forças e, mesmo com dores, cansaço físico e o sol forte, fizeram tudo valer a pena e mostraram que realmente a vitória sempre aparece. “Senti medo, após o fim do primeiro dia de caminhada, pois estava com bolhas nos pés e com muito cansaço, mas a vivência de quinta-feira à noite, especialmente, me deu confiança para seguir firme na sexta-feira, terminando com a sensação de agradecimento a Deus por ter me concedido forças, também a Cristo, pela sua entrega de Cruz e às pessoas que estiveram ao meu lado na preparação para a Cruzada, de modo especial ao Alex, que me incentivou muito em cada ocasião em que conversávamos no caminho”, contou Robson.

“Nesta cruzada entreguei especialmente todas as mudanças abençoadas da minha vida para este ano: o meu casamento, a vida da família, a minha preparação e a confirmação do meu sim à Aliança Filial que selarei em breve, como também todos os frutos que virão adiante e a lição de que mesmo nos momentos mais turbulentos devemos ser fieis na Aliança, não desanimar jamais e não se preocupar com coisas que possam deixar a gente para baixo, pois tudo encontra-se no perfeito cuidado de Deus e da Mãe de Deus. Achei muito gratificante ver a entrega do Robson nesta caminhada, pois isso representa mais um fruto das nossas Missões Familiares em Porto Amazonas (2014 e 2015), na ocasião ele foi missionado e já chegou até a se tornar o pioneiro para a fundação do Jumas em sua cidade, sinto-me feliz em poder ajudá-lo também nesta tarefa de iniciarmos um novo ramo de juventude no nosso regional”, comemorou Alex.

Ao final da cruzada, na entrada de Cornélio Procópio, os jovens foram recebidos com muita festa: fogos de artifício, barulho de motocicletas, carreata e palavras de incentivo dos moradores da cidade. Então, dirigiram-se até a entrada do Santuário, onde muitas pessoas os aguardavam, e, como prova de seu heroísmo até o fim, todos subiram correndo e se ajoelharam em frente ao Santuário, como agradecimento por toda essa Semana Santa abençoada que passaram juntos. Em seguida, consagraram-se à Mãe Três Vezes Admirável e cantaram uma canção chamada “Franz Reinisch”, para homenagear um dos heróis do Movimento de Schoenstatt e relembrar a conquista de Cristo sobre a Cruz. Suas reflexões deste momento basearam-se no fato de que nós também podemos assemelhar-nos a Jesus, sendo mais fieis e conscientes ao encarar, com amor, cada situação na vida, seja revestida de pedras como também repleta de alegrias.

Quando se caminha junto com Cristo e a Mãe de Deus, somos mais fortes. “Aleluya, todo es posible para nosostros. Resucito, Cristo nuestro señor”, é um trecho de outra música entoada pelos rapazes, “Renace la vida y el corazón”. Com a finalidade de vivenciar essa renovação pessoal na realidade do dia a dia, eles fizeram o propósito de carregar sempre o lema da Cruzada, que os acompanhou nestes dias e o qual reafirmaram com muito amor: "JÁ NÃO SOU EU QUE VIVO, É CRISTO QUE VIVE EM MIM".

domingo, 16 de abril de 2017

Feliz Páscoa!


Família do Santuário Tabor Magnificat louva a Ressurreição do Salvador


Ontem, a partir das 17 horas, iniciou-se a celebração do Sábado Santo, em memória da ressurreição gloriosa de Nosso Senhor Jesus Cristo. É a chamada “Mãe de todas as santas vigílias”, porque a Igreja mantém-se de vigília à espera da vitória do Senhor sobre a morte.

Cinco elementos compõem a liturgia da Vigília Pascal: a bênção do fogo novo e do círio pascal; a proclamação da Páscoa, que é um canto de júbilo anunciando a Ressurreição do Senhor; a liturgia da Palavra, que é uma série de leituras sobre a história da Salvação; a renovação das promessas do Batismo e, por fim, a liturgia Eucarística.

   
O Evangelho narrou a passagem em que Maria Madalena e Maria (mãe de Tiago) vão ao túmulo de Jesus, quando um grande tremor as surpreende. “Mas o anjo disse às mulheres: ‘Não temais! Sei que procurais Jesus, que foi crucificado. Não está aqui: ressuscitou como disse. Vinde e vede o lugar o lugar em que ele repousou. Ide depressa e dizei aos discípulos que ele ressuscitou dos mortos. Ele vos precede na Galileia. Lá o haveis de rever, eu vo-lo disse” (Mt 28, 5-7).

A promessa das Escrituras se concretiza com a ressurreição de Jesus Cristo, dando início aos novos tempos, quando não precisa mais se temer, pois Deus mostrou que ama intensamente seu povo, oferecendo seu próprio filho em prol da salvação do mundo. Que nós possamos aproveitar este Domingo de Páscoa para renovar a nossa fé e confiar ainda mais nos desígnios de Deus, porque ele atua de forma perfeita em cada pequeno detalhe de nossas vidas.

A cerimônia

Alguns momentos marcaram a ocasião, como a Vigília diante do Santuário com a bênção do fogo e do Círio Pascal, que é rico de simbologia do Ressuscitado: nele estão impressas as letras Alfa e Ômega, Jesus princípio e fim: A Ele o tempo e a eternidade, a glória e o poder pelos séculos sem fim”! Encontram-se ainda cinco grãos de incenso em forma de cruz, símbolo das chagas Cristo: “Por suas santas chagas, suas chagas gloriosas, Cristo nos proteja e nos guarde. Amém”. O círio lembra a luz de Cristo, por isso, é com ele que se faz o anuncio da luz e se acendem as velas da renovação batismal.

Após, todos se dirigiram em procissão à capela Magnificat. Ao longo do caminho foi feita a apresentação da luz de Cristo, com a última estação, na entrada da capela, já em penumbra. Ali seguiram as leituras da história da Salvação e o grande anúncio da Ressurreição.

O hino do Glória, após semanas de silêncio, ecoou com jubilo especial. Com uma reflexão sobre o significado desta santa Vigília, pelo presidente da celebração, o capelão Padre Marcelo Souza, todos renovaram as promessas batismais. Seguiu-se então o rito eucarístico, com solenes hinos e as orações próprias.

Antes da solene bênção pascal, as Irmãs de Maria desejaram a todos uma abençoada Páscoa, a seguir, o Padre Marcelo também apresentou seus votos de Feliz Páscoa e agradeceu a colaboração de todos os que ajudaram na Liturgia, cantos e todos os serviços relacionados ao Tríduo Pascal.

Assim, todos partiram para seus lares com as bênçãos e graças do ressuscitado! 

Fonte consultada: http://www.gaudiumpress.org/content/45269-O-cirio-pascal




sexta-feira, 14 de abril de 2017

O verdadeiro amor começa na Cruz

A Semana Santa segue com ampla participação dos fiéis no Santuário Tabor Magnificat. O Tríduo Pascal foi iniciado ontem, com a cerimônia de Lava Pés. Na ocasião, as leituras recordaram como o Pai Criador instituiu a Páscoa entre o povo escolhido de Israel (Ex 12, 1-8.11-14) e o Senhor instituiu a Eucaristia durante a Santa Ceia (1Cor 11, 23-26).

O cordeiro, que antes era imolado pelos judeus na Páscoa, tornou-se o próprio Cristo, que ofereceu seu corpo e sangue em sacrifício para a renovação da aliança de Deus com o mundo. O Lava Pés reforça a humildade de Jesus em servir e amar ao próximo até as últimas consequências.

A celebração realizada na Capela relembrou o ato altruísta com o sacerdote Marcelo de Souza e doze voluntários representando Jesus e seus discípulos. Um por um, os pés foram sendo lavados com muito amor. “Demos o exemplo. O exemplo de Jesus é de uma atitude de servo. Mas quando olhamos para Jesus compreendemos que não serviu de qualquer jeito. Ele serviu com amor, fazendo o bem sem esperar retribuição. Quando nós olhamos para a vida de Jesus, Ele sempre foi fazendo o bem àqueles que nada poderiam dar. Porque Jesus esperava e ainda espera que a gente possa dar o mesmo amor dado por Ele. É preciso pedir fidelidade para seguir o exemplo”, disse Pe. Marcelo na homilia.

Ele ainda enfatizou a importância da Santa Eucaristia para os católicos. “Nós também ouvimos em uma das leituras a expressão ‘fazei isto em memória de mim’. E fazer em memória de Jesus é não deixar que os seus ensinamentos se percam na história, que se possa dar continuidade à memória de que a Eucaristia está presente na Igreja. Que essa Eucaristia seja um sinal de que Jesus está presente”.

Outro tema abordado foi a instituição do sacerdócio, também celebrada na Quinta-Feira Santa. A comunidade aproveitou para fazer um agradecimento pelo ministério sacerdotal e homenageou o Pe. Marcelo, com uma bela canção cujo trecho resume sua missão: “um consagrado para amar, um consagrado para se doar, um amor que tudo suporta, um amor que não busca interesses seus, é o mais puro amor, o amor de Deus”.

Paixão de Jesus: momento de reflexão e renovação

A Sexta-Feira Santa iniciou com a realização da Via Sacra, no bosque do Santuário. Todos os presentes carregaram um pedaço de madeira, simbolizando os pedaços da Cruz de Cristo, e ofereceram sacrifícios, sofrimentos e contribuições ao Capital de Graças. Acompanhando as estações, puderam refletir sobre a trajetória de Jesus em busca da redenção dos nossos pecados, com orações e músicas que favoreciam o momento introspectivo.

Após, todos se reuniram novamente na Capela para a celebração da Paixão do Senhor. A Primeira Leitura (Is 52, 13-53, 12) mostrou a livre escolha de Jesus em ser humilhado e morrer em prol da salvação de todos os homens e mulheres. A Segunda Leitura (Hb 4, 14-16; 5, 7-9) falou sobre a confiança que podemos ter no Salvador, pois Cristo compreendeu o que é o sofrimento humano, nunca se colocou acima do Criador e teve suas súplicas atendidas por Ele.

O Evangelho (Jo 18, 1-19, 42) narrou a Paixão do Filho de Deus. “Por que recordar todos os anos a morte de Jesus? Porque em Jesus, a morte tem um novo significado. Na Cruz não está a morte de Deus, e sim o nascimento do Seu amor pelo mundo. Nunca podemos dizer que a Cruz venceu Deus. Deus venceu a cruz. Do coração transpassado de Jesus jorra uma fonte de água viva, que chega a todos nós, esse coração tem que ser o centro da vida cristã, porque é onde se encontra a justiça, a paz, o perdão. Na Cruz há a proclamação de que Deus ama o pecador e não o pecado. Por isso Ele quer atrair todos a Ele, para que o amor Dele por nós dê um sentido novo à nossa vida, que cada um possa se decidir por um novo caminho, onde Deus esteja presente, e não a morte. Deus sempre será vida, mas não devemos buscar qualquer vida, tem que uma vida que valha a pena, que seja doada e não desperdiçada. Como cristão eu devo viver o mesmo que Jesus viveu: um amor sem limites, que foi até a morte. A minha transformação, a minha vida nova, a minha salvação, e o verdadeiro amor deixado e desejado por Jesus começa na Cruz”, foram as palavras do Pe. Marcelo.




quinta-feira, 13 de abril de 2017

As Sete Dores de Nossa Senhora



Semana Santa segue no Santuário Tabor Magnificat, com a celebração das Sete Dores de Nossa Senhora

Quarta-feira, às 17 horas, a Capela do Santuário Tabor Magnificat recebeu os fiéis para a celebração das Sete Dores de Nossa Senhora. Após a homilia proferida pelo Padre Marcelo de Souza, a qual abordou a fidelidade da Mãe de Deus frente às provações que enfrentou em sua vida, sete mulheres portando rosas narraram as dores sentidas pela Virgem Santa:

Primeira: A apresentação de Jesus no templo e a profecia de Simeão ("Eis que este menino está destinado a ser uma causa de queda e de soerguimento para muitos homens em Israel, e a ser um sinal que provocará contradições, a fim de serem revelados os pensamentos de muitos corações. E uma espada transpassará a tua alma" - Lc 2, 34-35)
Segunda: A fuga para o Egito
Terceira: A perda do Menino Jesus no templo
Quarta: O encontro com Jesus no caminho do calvário
Quinta: Maria fica de pé junto à cruz de Jesus
Sexta: Maria recebe o corpo de Jesus morto em seus braços
Sétima: Maria deposita Jesus no sepulcro

Como Maria, tantas mulheres no mundo também passam por situações desesperadoras, por isso, permaneçamos unidos em oração por todas aquelas que necessitam de consolo divino. Ofereçamos mais Capitais de Graças presencialmente no Santuário nessa Semana Santa que segue, confira a programação dos próximos dias:


terça-feira, 11 de abril de 2017

Seguindo os Passos do Pai Fundador


Família de Schoenstatt de Rio Negro/PR celebra o jubileu de 70 anos da passagem do Padre José Kentenich pela cidade


Unidos no coração da Mãe, Rainha e Vencedora Três Vezes Admirável de Schoenstatt, a Família de Rio Negro comemorou os 70 anos da primeira visita do Pai e Fundador do movimento às terras Brasileiras, com o evento “Seguindo os Passos do Pai”, realizado no dia 9 de abril.

Em preparação, durante os 9 dias que precederam a data, a comunidade rezou a oração de canonização do Pai Fundador como oferecimento ao Capital de Graças. Além disso, em 6, 7 e 8 de abril iniciou-se um tríduo com Adoração ao Santíssimo Sacramento, Via Sacra, Terço pelas Vocações e Terço na Ermida Jardim de Maria e Missa na Igreja Matriz.  
Chegado o dia 9, as festividades começaram na ermida, com os participantes entoando o “Hino da Minha Terra” escrito pelo Padre Kentenich no livro Rumo ao Céu, além de cânticos e terço. Em seguida, a Senhora Maria Rosi, da Liga das Mães, contou a história da visita do Pai Fundador à Rio Negro, onde se hospedou, onde ocorreram suas celebrações e quem ele visitou. Logo após, todos saíram em carreata para “seguir os passos do Pai” em direção ao Seminário Seráfico (atual Prefeitura de Rio Negro), onde Padre Kentenich celebrou a Santa Missa.

O dia foi encerrado com a Santa Missa do Domingo de Ramos e uma confraternização na casa do casal Marise e Osnildo, da Liga de Famílias. “Continuamos rendendo graças ao Bom Deus pelo dom da vida e obra do Padre Kentenich, e também pedindo a intercessão de Nossa Mãe e Rainha Três Vezes Admirável pela sua canonização”, declarou Sandra Pereira Zacarias, integrante da organização do evento.

A Ermida de Rio Negro/PR

A Ermida Jardim de Maria fica no jardim da antiga maternidade de Rio Negro e é uma herança deixada pelas Irmãs de Maria, que a conquistaram quando aqui residiam. A Família de Schoenstatt de Rio Negro assumiu a responsabilidade por seu zelo e cuidado, tarefa cumprida com muito amor e gratidão.



segunda-feira, 10 de abril de 2017

Santuário Tabor Magnificat celebra Domingo de Ramos



Em união com toda a Igreja, em 9 de abril foi celebrada a Missa do Domingo de Ramos no Santuário Magnificat, dando assim início às celebrações da Semana Santa. Tivemos missa às 11 horas presidida pelo capelão do Santuário Pe. Marcelo Souza e às 17 horas pelo padre Reni, que estava em visita à cidade de Curitiba. Nos diferentes momentos da celebração, foi apresentado o significado deste dia e desta celebração, que remonta à entrada triunfal de Jesus em Jerusalém e nos introduz ao mistério da Salvação, o mistério da Páscoa.

A celebração iniciou diante do Santuário, onde os participantes puderam pegar um ramo. Após a bênção dos ramos, foram cantados os hinos de louvor e todos seguiram para a capela Magnifica. Muitos fiéis participaram da procissão, relembrando a presença massiva dos habitantes de Jerusalém quando Jesus por ali passou. A partir disso, seguiu-se para a Santa Missa com a narração do Evangelho da Paixão do Senhor. 

Após esta celebração, partimos preparados para as celebrações do Tríduo Pascal. O Evangelho e as reflexões do Domingo de Ramos estão concentrados na Paixão de Jesus, cujo sentido último é a Ressurreição.

Cabe refletir também sobre as palavras do Papa Francisco por ocasião da celebração do Domingo de Ramos, horas antes diante de milhares de fiéis na Praça São Pedro: “Para seguir fielmente a Jesus, peçamos a graça de o fazer não por palavras, mas com as obras, e ter a paciência de suportar a nossa cruz: não a recusar nem jogar fora, mas, com os olhos fixos n’Ele, aceitá-la e carregá-la dia após dia.” (cf. www.news.va, 9 abr. 2017)

Seis integrantes da LAFS de Curitiba/PR selam Aliança de Amor com Maria


Evento marcou a entrega de corações e a entrada das integrantes do grupo “Estrela do Tabor” como colaboradoras do ramo


“Ser Tabernáculo Vivo”, é o ideal da Liga Apostólica Feminina de Schoenstatt. Assumindo esse compromisso de levar Cristo para o mundo, na tarde do dia 8 de abril, quatro liguistas selaram sua Aliança de Amor e outras duas a renovaram. O ato, celebrado no Santuário Tabor Magnificat, também marcou a entrada das mulheres como colaboradoras da LAFS Curitiba.

"O grupo nasceu de uma vontade legítima e perseverante de aprofundar seu amor à Mãe Rainha, também de fortalecer o compromisso do batismo, através da vida nova com Maria, nossa Educadora. Os encontros foram gratificantes, pois a vida do grupo foi evoluindo e enraizando seus vínculos na fé e nos caminhos de Schoenstatt, deixados pelo Pai Fundador. As graças se fizeram presentes em cada testemunho partilhado e na evidente transformação de cada uma. Foi tão bonito o 'despertar' de todas, que se tornaram pequenas Marias", contou Scheyla Mara Furlan, dirigente do grupo, intitulado “Estrela do Tabor”.

“Foi maravilhoso sentir ainda mais a presença da Mãezinha em nosso meio, agora que selei a aliança sei que estarei ainda mais firme na fé, terei vida nova, sinto-me ainda mais forte com ela ao meu lado. Agradeço a todas pelos momentos vividos de oração, e pelas partilhas durante os encontros”, disse Joelma Polli.

Com ampla participação da família de Schoenstatt, a Missa foi celebrada pelo Padre Marcelo de Souza e contou com a presença da assessora local da Liga, Irmã Maria Doralice de Souza e da assessora nacional, a Irmã Maria Jacinta Donati. Com a presença de familiares e amigos, as liguistas Joelma Polli, Leunice Cavassin, Annelise Paladino, Kátia Pinheiro, Renata Orsato e Gilza Santos, ao início da cerimônia, levaram cartazes que continham contribuições pessoais ao Capital de Graças. Após a Santa Missa, houve momentos de oração e oferecimentos, além do rito que oficializou o compromisso, com assinatura do Livro da Aliança de Amor da LAFS e bênção das medalhas, símbolos da vinculação ao Santuário de Schoenstatt.

“Sempre que um grupo sela a Aliança de Amor com a Mãe, Rainha e Vencedora Três Vezes Admirável, até a natureza do Santuário parece rejubilar. Sim é dia de festa! No olhar daquelas que se preparam para a selar há um brilho de esperança e uma certeza de que daqui para frente as coisas serão diferentes, porque com passamos a olhar tudo ao nosso redor na perspectiva da Mãe de Deus e isto significa um olhar pautado na fé, pleno da certeza de que Deus cuida de tudo, inclusive dos mínimos detalhes de nossa vida”, declarou a Ir. Doralice.

Ela ainda citou as palavras do Pai Fundador para definir no que consiste a consagração: uma “troca de corações”, um “antídoto para a doença” dos tempos atuais, para que a humanidade se recorde da importância de amar ao próximo. A cultura da Aliança de Amor, quando vivida plenamente, contribui na saída de Schoenstatt para o mundo, a fim de levar um estilo mariano de vida às pessoas carentes espiritualmente.

“A celebração foi um momento importante porque a Mãe de Deus escolheu seis instrumentos para a missão, quando estamos a caminho do centenário da nossa fundação em 2020. A Providência Divina certamente nos conduziu, tanto que em um ano de jubileu Mariano Nacional e dos 70 anos da chegada do Pai Fundador ao Brasil, essa Aliança de Amor representou uma dádiva! Em nosso coração entoamos um hino de gratidão à Liga Apostólica Feminina, que assume a missão de tornar Cristo presente! O lema escolhido, ‘Estrela do Tabor’, foi significativo, pois no Santuário Tabor Magnificat sentimos a presença do Tabor, onde o céu tocou a terra, sobretudo a terra do nosso coração”, celebrou a Ir. Jacinta.

Amor, dedicação e criatividade



 

Liga das Mães, por meio da Oficina das Artesãs de Maria, expôs peças de artesanato que auxiliaram a arrecadar fundos para a construção da Casa de Retiros Padre José Kentenich


No sábado, dia 8 de abril, foi realizada Feira de Páscoa da Liga das Mães, no Santuário Tabor Magnificat, de Curitiba/PR. Na ocasião, foram expostas belíssimas peças de artesanato confeccionadas pela Oficina das Artesãs de Maria, da qual fazem parte as integrantes do ramo.

A cada 15 dias, sempre nas quartas-feiras, o grupo se reúne na Casa de Nazaré, para aprender as diversas técnicas de artesanato e também para reforçar a unidade da Liga. “O que mais valorizamos em nossa Oficina é a amizade, priorizamos a parte emocional de cada uma e ajudamos umas às outras sempre sob o olhar da nossa querida Mãe Três Vezes Admirável”, declarou Rosane Mercedes Bizinelli, coordenadora da Oficina.


A iniciativa despertou os corações das mães há muito tempo, mas foi montada no ano passado, em preparação para o 1º Bazar da Festa do Santuário Tabor Magnificat, realizada em Maio. Além de promover integração, os eventos destinados à exposição dos trabalhos permitem juntar fundos para diversas obras. Parte da arrecadação deste evento de Páscoa irá ajudar na continuidade da segunda etapa da construção da Casa de Retiros Padre José Kentenich.

terça-feira, 4 de abril de 2017

Delegados do Paraná têm primeiro encontro do ano


Unidade e ardor apostólico marcam o início dos trabalhos no regional

“Vamos trabalhar neste ano com amor e dedicação”, foi a letra cantada pelos 38 participantes do Encontro de Delegados do Regional Paraná, realizado em 25 e 26 de março, no Santuário Tabor Magnificat, de Curitiba/PR. Presidentes de conselhos e assessores do Movimento Apostólico de Schoenstatt do Paraná se reuniram com dez Irmãs de Maria e dois Padres de Schoenstatt, representando dez cidades do Estado.

O Padre Ivan Simicic, do Santuário Esmagadora da Serpente, de Londrina/PR, abriu o evento ressaltando os principais pontos trabalhados durante os dois dias. “A programação inclui apresentações sobre como anda a vida dos locais, formações e capacitações de delegados, tendo em vista os temas dos 70 anos da visita do Pe. José Kentenich ao nosso país, o Ano Mariano e os 75 anos de fundação da Obra de Famílias”, disse.

Além destas atividades, todos participaram de vivências, orações, oficinas e partilhas sobre a organização e a promoção da subsistência dos centros de Schoenstatt. “Saímos desse encontro com a disposição para sermos verdadeiros filhos do Tabor e vivermos nosso ideal nacional”, relatou João Paulo Oliveira, presidente do Conselho de Curitiba/PR.

“O Encontro de Delegados é sempre muito enriquecedor porque nos norteia e nos dá muito mais força para continuar a conduzir as famílias que representamos. Além disso, ter as famílias reunidas cria uma identidade para o regional, com uma única corrente de vida. Gosto muito do intercâmbio de experiências, inclusive, quando alguma ideia interessante de outra cidade é apresentada, eu posso adaptá-la para a minha própria família local”, contou Geovani Arnhold Moresco, representante de Maringá/PR.

A seguir, constam os principais projetos e iniciativas das cidades, apresentados pelos delegados:

Cornélio Procópio
“Tarde Jovem” aos sábados, com convites para jovens e mães integrarem o movimento. Também adorações ao Santíssimo aos domingos e forte crescimento do Terço dos Homens.

Curitiba
Projeto “Leve a Mãe para Casa”, com uso de dados coletados para divulgação da espiritualidade de Schoenstatt e de eventos do Santuário. Além disso, serão iniciadas visitas a casas.

Guarapuava
“Lual Mariano”, promovido pela Juventude Feminina e Masculina, que têm ‘conquistado novos corações’, e campanha da Mãe Peregrina, que leva a imagem da Mãe de Deus para 441 famílias.

Ibiporã
Construção do barracão de eventos. Também constante presença das famílias na ermida para sua manutenção e participação na corrente das 1000 Ave Marias, e promoção pelos jovens do “Schorrasco dos Pais”, para crescimento da Liga de Famílias.

Jacarezinho
Organização de Missões Familiares em Santa Cruz/PR, crescimento da juventude e das Apóstolas Luzentes, reestruturação da campanha da Mãe Peregrina com visitas a todas as casas.

Londrina
‘Terço Jovem’ nas paróquias, criação do grupo “LAFS Coração” para ex-integrantes da Jufem, ‘Tarde com Maria’ da Liga das Mães, com convites para novos membros em todos os ramos, e ‘Tarde de Informações’ para interessados em adentrar o Instituto de Famílias.

Maringá
Escola de líderes nas paróquias, projeto “Vivendo em Aliança” com reuniões todo dia 18 na ermida, fortalecimento da campanha da Mãe Peregrina e dos círculos de Aliança de Amor.

Presidente Prudente
Crescimento da Liga das Mães nas paróquias, romarias anuais para Santuário de Londrina, estabelecimento de mais de 30 grupos de Terço dos Homens, com 50 integrantes recém consagrados pela Aliança de Amor,  Missões Familiares em Caiabu/PR com visitas a 700 famílias.

Rio Negro
Fortalecimento do movimento por meio da Liga de Famílias, todo dia 18 renovação da Aliança de Amor na ermida, além de evento destinado a ‘seguir os passos do Pai Fundador’, com guias que conduzirão visitas aos lugares pelos quais o Pe. José Kentenich passou.

Santa Cruz do Rio Pardo
Encontro “Mães unidas com Maria”, caminhadas do Terço dos Homens, implementação do Jumas em paróquia local. Estratégia de expansão da campanha da Mãe Peregrina.


Ano Mariano, Jubileu da Missão Tabor e 75 anos da Obra de Famílias

Para evidenciar os temas nas famílias de Schoenstatt do Paraná, foram destacadas as principais ações desenvolvidas nos locais. Para o Jubileu de Nossa Senhora Aparecida, estão sendo realizados peregrinações, cantatas, adorações, noites de louvor, congressos, festas, orações e terços, divulgação da devoção mariana por meio dos ramos, formações, capitalários, presença de Schoenstatt em eventos marianos das dioceses e visitas aos enfermos.

Já em relação às datas celebrativas do Movimento, as iniciativas englobam reforçar participação dos ramos nas formações, conscientizar a importância da Aliança de Amor, enfatizar os ideais dos ramos, realizar via sacra específica para vocações, utilizar o Rumo ao Céu mais intensamente e divulgar mais o Movimento de Schoenstatt nos meios de comunicação.


Romaria Jubilar dos 300 anos de Aparecida


sexta-feira, 31 de março de 2017

JUMAS Curitiba/PR realiza Encontro de Ramo


Nos dias 24 e 25 de Março, a sombra do Santuário Tabor Magnificat, o Jumas Curitiba realizou o seu Encontro de Ramo, no qual foi decidido o novo líder de ramo e os rumos da juventude em 2017. O padre Julio Fabiano e o seminarista Filipe Araujo acompanharam os rapazes, que puderam estar presentes durante o final de semana, tendo um papel fundamental em tudo o que foi refletido e conversado!
Na sexta-feira, por volta das 20:30, 12 membros do Jumas Curitiba se reuniram com os novos assessores do Jumas Paraná. Foi um momento mais voltado a se conhecer melhor, já que era o primeiro contato pessoal do padre Julio e do seminarista Filipe com a Juventude Masculina local. Após uma conversa descontraída em que se pode ter um panorama geral do ramo, foi realizada uma rápida vivência no Santuário. Diante de Jesus Eucarístico, o seminarista Filipe orientou que todos os presentes escrevessem, de um lado da folha, quais os seus sonhos para o Jumas Curitiba neste ano de 2017 e, do outro lado, o que não queriam para o ramo. Após todos escreverem, cada um dos jovens depositou a folha aos pés de Jesus. Segui-se então para a adoração e, por fim, a consagração, a noite foi encerrada com o tradicional Franz Reinisch.
No dia seguinte, após o café da manhã, o seminarista Filipe apresentou os pontos que foram citados na vivência. A partir disto, os rapazes presentes selecionaram três pontos principais para nortear as atividades do ramo neste ano de 2017. Os pontos escolhidos foram: União, Comprometimento e Espiritualidade.
Tendo como base esses três pontos, foi traçado um plano de ação com a finalidade de renovar o Jumas Curitiba. De modo geral, ficou decidido que o ramo terá dois grandes grupos de vida: um de Apóstolos e outro de Aliados. Ambos se reunirão todo 2º domingo do mês no Santuário, no mesmo horário, participarão da Missa Jovem, após, terão um rápido momento de adoração e espiritualidade, seguida de confraternização para manter viva a chama da amizade e da irmandade. 
Também terá reunião de grupo todo 4º sábado do mês, na paróquia São João Batista, onde nasceu o Jumas Curitiba, a fim de não perder o vínculo com suas origens. Neste dia todos rezarão o Santo Terço antes da Missa e poderão participar da equipe de música da celebração. Assim, estarão no mínimo duas vezes por mês unidos como Jumas.
Uma das diretrizes a serem seguidas é o fortalecimento dos pilares da ROCA, muito importante para a sustentação do Homem Novo: a REALIZAÇÃO PESSOAL promovida nas reuniões que objetivam o itinerário da Carteira dos Apóstolos, bem como uma iniciativa do grupo de Aliados, o qual trabalhará com o Círculo da Aliança que selará Aliança de Amor no dia 18 de Novembro de 2017; a ORAÇÃO através das Missas Jovens, do Santo Terço na Paróquia e da Adoração no Santuário; a COMUNIDADE através dos momentos de vinculação pós-Missa Jovem; e o APOSTOLADO através da realização de visita a um lar de idosas junto com o grupo do TLC, duas edições do Projeto Pão no 2º semestre, a promoção da Escola de Dirigentes e a abertura de no mínimo um grupo de Pioneiros no ramo.
Na parte da tarde, as propostas citadas acima foram finalizadas, elaborou-se o calendário do Jumas Curitiba para este ano (levando em consideração também eventos do Santuário Tabor Magnificat, do Jumas Paraná e do Jumas Brasil) e houve a votação para o novo líder de ramo, o escolhido pelos rapazes presentes foi o William Bandeira. Ao final da tarde os membros do Jumas Curitiba se dirigiram para a paróquia São João Batista, onde cumpriram o compromisso de tocar e cantar na Missa e, em seguida, se uniram para um divertido momento de vinculação.
Tendo em vista todas as iniciativas citadas, o Jumas Curitiba dá início ao seu processo de renovação, a fim de fortalecer as bases dos membros e do ramo para no próximo ano buscar realizar projetos mais ambiciosos e intensos. Contamos com as orações e capitais de graça de todo o Jumas Brasil!