quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Santuário Tabor Magnificat celebra Festa da Aliança e abertura do Ano Padre Kentenich

Texto e Fotos - Anne Ehlke

 

No último domingo (15), romeiros e membros do Movimento de Schoenstatt participaram da Festa da Aliança de Amor e abertura oficial do Ano Padre Kentenich no Santuário Tabor Magnificat de Curitiba.

Às 13h, as pessoas foram acolhidas em frente ao santuário e assistiram ao teatro sobre a consagração do Pe Kentenich a Nossa Senhora quando ele tinha apenas nove anos. Do mesmo modo, as crianças presentes foram consagradas à Maria.


Em seguida, todos rezaram o terço em gratidão aos 103 anos do Movimento e por aqueles que têm, de alguma forma, suas vidas ligadas a ele. Depois se dirigiram à praça do Pai e Fundador para a abertura do seu ano.


Às 17h, foram em romaria até a capela, onde o padre Marcelo de Souza celebrou a Santa Missa. Na homilia, o sacerdote falou sobre a paternidade do padre Kentenich. “Ele, na expressão da palavra ‘padre’, é um pai. Um pai que está ali na porta do santuário acolhendo todos os seus filhos”, afirmou.


Além disso, padre Marcelo pediu para que as pessoas presentes levassem, de modo especial neste Ano do Pai, a cultura da Aliança de Amor para outros. Assim eles também terão a oportunidade de experimentar o amor de pai do Pe Kentenich e afirmar “aqui [no santuário] encontrei um pai para a vida”.


A festividade foi encerrada com a tradicional queima dos capitais de graças na Pira do herói schoenstattiano José Engling.



Feliz Dia da Aliança de Amor!

Texto - Ir. M. Franciane Castellani
Fonte - www.schoenstatt.org.br

Profundamente imerso na condução da divina Providência em sua vida e atento aos mínimos acenos de Deus e da Mãe, Rainha e Vencedora Três Vezes Admirável de Schoenstatt, o Pe. José Kentenich deixou-se utilizar como instrumento dócil e fiel, para que o divino pudesse novamente irromper em nossa história. Certa vez, ele confessou que o grande acontecimento de sua vida se deu no dia da Fundação de Schoenstatt, em 18 de outubro de 1914.

Essa data é recordada por todos os schoenstattianos com profunda atitude de gratidão, pela fé ousada do Fundador, que com a mão no “pulso do tempo e o ouvido no coração de Deus”, passou com confiança pelas portas que lhe abriu Deus em sua infinita misericórdia. A vivência da Aliança de Amor tornou-se para o Pe. Kentenich sua razão de vida, sua fonte de bênçãos e o Santuário seu lugar predileto. Ele mesmo dizia: “Quem me procura me encontra no Santuário”.

Somos convidados a experimentarmos em nossa vida a realidade da “troca” de corações com a Mãe de Deus, assim como ele o fez e, por esta vivência, entregar-nos sem reservas à condução amorosa de Deus; ousar em cada circunstância, com singeleza filial, dar o salto ousado da fé e acreditar que, na Aliança de Amor, a Mãe no guia, nos educa e nos envia em missão.

sábado, 14 de outubro de 2017

Crianças são consagradas e têm Missa especial no Dia de Nossa Sra. Aparecida

Fotos - Joelma Polli
Texto - Renata Orsato



“Deixai vir a mim estas criancinhas e não as impeçais, porque o Reino dos céus é para aqueles que se lhes assemelham” (Mateus 19, 14). No Dia de Nossa Senhora Aparecida, as crianças tiveram uma tarde especialmente dedicada a elas, já que Outubro é o mês das Crianças.

Por volta das 15 horas, foi feita a consagração delas dentro do Santuário Tabor Magnificat. “Nós queremos entregar estas crianças à Mãe de Deus para Ela entrega-las a Jesus e ao Pai do Céu. Nossa Senhora é Mãe, Rainha e Vencedora Três Vezes Admirável de Schoenstatt e Aparecida”, disse na ocasião a Irmã Maria Inês Rubin.

Ela pediu para que, ao rezarem, os pais, padrinhos e madrinhas, avós e tios presentes meditassem sobre as palavras ditas e também colocassem suas preocupações a respeito da educação e do futuro das crianças, pois Maria recebe tudo e se responsabiliza junto a eles.

Então, tanto adultos quanto crianças entoaram juntos a Consagração à Mãe de Deus, e a exemplo da mãe do Pai Fundador Padre José Kentenich, confiaram os pequeninos aos cuidados da Virgem Santa. Ao final, a Irmã propôs que todos rezassem um lindo Santo Anjo e cantassem “Mãezinha do Céu”.

A tarde seguiu com várias brincadeiras no gramado, como pingue pongue, cama elástica e jogos de tabuleiros. Às 17 horas, quando bebês e criancinhas estavam mais calminhos, partiram para a Santa Missa com liturgia dedicada a eles, preparada pelas Irmãs de Maria, Apóstolas Luzentes de Maria e Juventude Feminina.


A procissão de entrada, ao som do Hino Nacional, teve a bandeira do Brasil carregada por um menino e uma menina, seguidos por três meninos que com uma rede representaram os pescadores de Aparecida, além das Apóstolas Luzentes e várias crianças que portando balões conduziram a imagem de Nossa Senhora Aparecida até o altar.




As leituras foram entoadas com muita doçura pelas crianças, antes da homilia, em que o Padre Marcelo de Souza chamou todos os pequeninos presentes para que eles pudessem ouvir os ensinamentos mais de perto, destacando que eles são sempre os primeiros a entrar para o Reino dos Céus.


Após, o quadro e o Manto da Mãe de Deus passaram derramando bênçãos sobre a Assembleia. Ao final da celebração, houve um momento de gratidão pelo Jubileu de 300 anos, com homenagem e coreografia muito animada das Apóstolas Luzentes, que ao final coroaram a imagem de Nossa Senhora Aparecida. Viva a nossa Mãe Rainha!



12/10/17: Jubileu de 300 anos de Nossa Senhora Aparecida

Fotos - Joelma Polli
Texto - Renata Orsato


Mais de 1800 fiéis peregrinaram ao Santuário Tabor Magnificat para renovar sua devoção, agradecer e pedir graças


“Aparecida das redes aos corações dos humildes”. Foi com essas palavras que se deu início à Solenidade do Jubileu de Nossa Senhora Aparecida, no Santuário Tabor Magnificat. Mais de 1.800 pessoas compareceram, grande parte delas inclusive peregrinou até o local. 10 paróquias se juntaram à família de Schoenstatt em ação de graças pelo dia especial.

Participaram da celebração Pe. Marcos (Paróquia São Rafael), Pe. João Jorge (Paróquia Santa Edwirges), Pe. Edson (Paróquia Cristo Ressuscitado), Pe. Rivael (Paróquia Nossa Senhora de Lourdes), Pe. Auxílio (São Grato e São João Batista Precursor), Pe. Carlos (Paróquia São José Trabalhador), Frei Eduardo (Paróquia São João Batista), Pe. Márcio (Paróquia Bom Jesus Ferraria), Pe. Fabiano (Paróquia Santo Antônio de Orleans) e Pe. Marcelo de Souza (capelão do Santuário Tabor Magnificat).

Graças aos sacerdotes que se fizeram presentes, os fiéis puderam contar com atendimento de confissões, em barracas reservadas.




A imagem

A réplica (Fac-Símile) idêntica à original foi colocada em um andor decorado com rosas, que ficou em frente ao Santuário até o início da solenidade, com livre acesso aos peregrinos para que pudessem agradecer e entregar seus pedidos.

A história da imagem original remonta ao século XVIII. Em 1717, os pescadores Domingos Garcia, Filipe Pedroso e João Alves foram pescar no Rio Paraíba do Sul, que banha os Estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro. Após descer o rio sem conseguirem um peixe sequer, chegaram ao Porto Itaguaçu, lançaram as redes e apanharam primeiro a cabeça, depois o corpo de uma bela imagem de Nossa Senhora, no estilo barroco. Nas outras vezes em que as redes foram jogadas, os peixes vieram aos montes.

Os pescadores então levaram a imagem para a casa de Felipe Pedroso e os vizinhos começaram a se reunir com sua família para rezar. A partir disso, ela foi restaurada não somente fisicamente, mas no coração do povo. Por intermédio de Nossa Senhora Aparecida inúmeros milagres ocorreram, a contar do primeiro: em uma noite do ano de 1733, duas velas que iluminavam a Santa se apagaram sem que houvesse nenhuma corrente de ar ou sopro e antes mesmo dos fiéis pensarem riscar um fósforo, as chamas reacenderam sozinhas. Outro milagre muito marcante ocorreu por volta de 1850, quando o escravo Zacarias rogou pela sua libertação na Igreja onde se encontrava a imagem e devido à sua grande fé teve as correntes rompidas.



A solenidade

Tendo início às 9h30, a procissão de entrada contou com os acólitos, coroinhas e sacerdotes de todas as paróquias. A imagem da Virgem foi trazida pela juventude da paróquia Santo Antônio de Orleans até o altar da celebração, precedida por uma belíssima coreografia apresentada por três jovens, ao som da música O Brasil é Todo Teu (André Alves). Durante a Santa Missa, alguns casais ergueram o andor e todos os fiéis entoaram a Ladainha de Nossa Senhora Aparecida, entoando em cada estrofe “Maria clamamos a vós”.




Pe. Marcelo, em uma emocionante homilia, falou sobre a devoção do povo à Mãe Maria de Aparecida: “Nós cantamos ‘Deus a amou e a escolheu’, e isso Ele fez muito antes de nós existirmos. E se Deus fez assim, por que nós faríamos diferente? Nós também devemos a amar e a escolher para estar ao nosso lado e nos ajudar, fazer com que Maria tenha um lugar muito especial em nossa vida. Nós queremos fazer nessa manhã esse pedido ao Senhor: que Ele nos ajude a recordar todos os dias do que proporcionou à vida de Maria. Que nós possamos hoje renovar a nossa devoção a Ela, como os milhares de fiéis que se encontram na cidade de Aparecida”.

O capelão também destacou a solenidade realizada no dia anterior, na Basílica de Aparecida: “Nossa Senhora foi coroada. Sua coroa trazia um pouquinho de terra de cada Estado do Brasil, para significar que Ela é Mãe do povo brasileiro, que Ela faz parte da nossa fé e da nossa história. Então nós queremos hoje manifestar gratidão porque Deus nos deu Maria como nossa Mãe. A mulher vestida de Sol é a prova de que junto a Maria e Deus podemos sempre vencer o mal”.

Por fim, Pe. Marcelo destacou a atitude serviçal de Maria ao dizer seu sim ao Senhor: “Quando nós olhamos a nossa história, Maria deu graças à Deus quando aceitou ser a Mãe de Jesus, Ela não pensou em si, mas em toda a humanidade, em tantas gerações, em cada um de nós. Ela continua dizendo ‘eu quero uma vida digna para os meus filhos’ e nos motiva a lutar por isso, permanecendo atenta às nossas necessidades. Para que as muitas graças e bênçãos se façam presentes, devemos, como disse Maria no milagre das Bodas de Caná, fazer tudo o que Jesus nos disser”.


Ao final da celebração, rosas foram distribuídas entre os presentes. Quem recebeu, assumiu o compromisso de rezar um terço mariano, possibilitando que 15.000 orações fossem feitas no dia. Depois houve momento próprio para todos rezarem a oração do jubileu de 300 anos e uma Ave Maria.



Tarde das crianças

No período da tarde, integrantes dos diversos ramos da família de Schoenstatt se juntaram para promover brincadeiras em comemoração ao mês das crianças, e também a venda de pastéis e bolo comemorativo.

As crianças também tiveram uma Consagração à Mãe de Deus e uma Santa Missa especialmente preparada e dedicada a elas, tendo a contribuição do Instituto das Irmãs de Maria, das Apóstolas Luzentes de Maria e da Juventude Feminina.



Tríduo da Festa da Aliança

Às 15h a Novena da Confiança, seguida pelo Terço Mariano, e às 17h a Santa Missa deram início ao Tríduo em Preparação à Festa da Aliança de Amor. O tema do 1º dia foi “Pai para todos”, no 2º dia “Pai e Educador” e no 3º dia “Pai e Educador”, em referência ao Ano do Padre Kentenich, que vai de Outubro deste ano até Outubro do mês que vem.

A Festa da Aliança de Amor relembra a primeira Aliança de Amor, firmada em 18 de Outubro de 1914, em Schoenstatt (Alemanha).


***

*** 

Fontes consultadas: http://devotosdamae.blogspot.com.br/2012/10/os-primeiros-milagres-de-nossa-senhora.html, https://formacao.cancaonova.com/diversos/nossa-senhora-aparecida-uma-historia-de-fe/

sexta-feira, 13 de outubro de 2017


Instagram - @santuariodeschoenstattcuritiba
 (Link https://www.instagram.com/santuariodeschoenstattcuritiba)

Facebook - @schoenstattcuritiba 

Youtube - Canal Santuário de Schoenstatt Curitiba

Grupo Missionário Magnificat promove formação para moradores de Rio Branco do Sul/PR

Fotos e texto - Alexandre Rossi


O Domingo de 1º de Outubro foi dia de dar continuidade às Missões Familiares do último carnaval, realizadas em Rio Branco do Sul/PR. Membros do Grupo Missionário Magnificat acolheram no Santuário de Schoenstatt de Curitiba os casais missionários do Encontro Motivacional nas Comunidades (EMC), vindos da Paróquia Nossa Senhora do Amparo, a Igreja Matriz da cidade de Rio Branco.

Os 22 adultos e 7 crianças ainda não conheciam o "pedacinho do céu", por isso aproveitaram para aqui passar um dia agradável e conhecer as três graças do Santuário, bem como aprender um pouco mais sobre o Movimento de Schoenstatt. 

Após, receberam uma formação sobre os seis passos da missão e participaram do Projeto Leve a Mãe para Casa. Por meio deste projeto, todos entraram em contato com a figura do Pai Fundador e levaram uma bela lembrança para casa: a pequena imagem da Mãe de Deus com Jesus Menino.






terça-feira, 3 de outubro de 2017

Apóstolas Luzentes de Maria comemoram 90 anos

Fotos e texto - Heloisa Benato

E nesse ano as nossas pequenas princesas de Schoenstatt estão em festa! Com muita alegria, temos a honra de comemorar o jubileu de 90 anos das Apóstolas Luzentes de Maria! Assim como disse o Pai Fundador, cada Apóstola tem a missão de ser Luz e Sal da Terra, um  verdadeiro jardim que transmite alegria e esperança...
É com este ideal "Faça-se pequena Maria, Luz da Esperança" que as Apóstolas de Curitiba estão vivendo um ano muito abençoado e especial. Desde o início das atividades, cada grupo vem entregando vários capitais de graça por todo o jubileu que estão vivendo. Através das reuniões, foram conhecendo a história de todo o ramo e percebendo o quanto são privilegiadas por fazerem parte dessa história! No final de semana dos dias 24 e 25 de maio tivemos a alegria de comemorar esse Jubileu tão especial em Atibaia, com Apóstolas de todo o Brasil, fazendo novas amizades, aprendendo, cantando e agradecendo. As meninas de Curitiba fizeram uma linda dança na vivência de sábado à noite, representando a Luz no meio das trevas do mundo. 

E as comemorações não param por aí, nos dias 23 e 24 de setembro elas tiveram um maravilhoso acampamento no Santuário Tabor Magnificat, começando com um momento de integração, seguido da vivência, na qual puderam escutar as palavras que o Pai Fundador as deixou e finalizando com uma festa muito animada, com show de talentos e muita dança.

Mas o ano ainda não acabou para as nossas pequenas... cada grupo continuará com as suas reuniões e muita entrega ao capital de graças, festejando a cada dia a alegria de pertencer ao Reino da Mãe!















domingo, 17 de setembro de 2017

Curitiba/PR inicia o Ano do Padre José Kentenich com adoração e envio de peregrinos


Texto - Geni Maria Hoss
Fotos - Geni Maria Hoss e Renata Orsato

Às portas da memória de 50 anos da morte do Pe. José Kentenich, a Presidência Geral da Obra da Schoenstatt conclamou toda a Família de Schoenstatt para um ano de avaliação, renovação e novo impulso para o futuro, fortalecida pela fonte de graças e forças: a Aliança de Amor selada no Santuário Original e que produziu abundantes frutos desde o memorável dia 18 de outubro de 1914. 

A Presidência Geral sugere em sua carta a toda a Família de Schoenstatt: “Ao longo deste ano, coloquemos o nosso Fundador no centro, seu pensamento e sua mensagem, sua biografia tão rica e fascinante, as respostas que deu aos desafios da Igreja e do mundo e que hoje ainda quer dar por meio de nós. Este ano nos dá a oportunidade de aprofundar o vínculo com o nosso Pai e Fundador, para que o seu carisma reviva novamente em nós. Convidemos a muitas pessoas a conhecer ou a redescobrir ao Padre José Kentenich como profeta do nosso tempo!”

A Família de Schoenstatt de Curitiba tem como centro local o Santuário Magnificat, dádiva do centenário do Pe. José Kentenich, lugar de gratidão pelo seu precioso legado e pela fecundidade de Maria como intercessora junto a Deus em prol de seus filhos para que efetivamente sejam filhos de profunda fé e missionários no mundo. Assim, prontamente atendeu a proposta do Ano Pe. José Kentenich. No dia 15 de setembro, memória da morte do Padre Kentenich se reuniu para a abertura do Ano Pe. Kentenich em dois momentos distintos e significativos.

Na Santa Missa das 17h, Solenidade de Nossa Senhora das Dores e dia da lembrança da morte do Fundador Pe. José Kentenich, a Ir. Doralice falou antes da liturgia iniciar, convidando os participantes para o Ano Pe. Kentenich e explicou seu significado e relevância para aprofundar e renovar a missão que ele deixou para a posteridade.

A data coincidiu com a peregrinação ao Santuário Nacional de Aparecida e participação da inauguração do Santuário de Caieiras. Deste modo, na abertura oficial, às 20 horas, estiveram presentes a Família de Schoenstatt e também peregrinos e amigos do Santuário que, logo a seguir, partiram em peregrinação a estes lugares sagrados.

A Juventude Masculina de Schoenstatt convidou e conduziu toda a Família para uma reflexão mais profunda do que este ano significa neste momento da história de Schoenstatt. Enquanto vemos os últimos elos diretos como Fundador, ou seja, aquelas pessoas que ainda o conheceram em vida, entregarem nas mãos das futuras gerações, a missão legada pelo Fundador, vemos também gerações jovens preocupadas em conhecer profundamente o seu carisma para levaram adiante a missão num mundo que tanto necessita.

Cânticos, orações e reflexões fizeram todos mergulhar na pessoa, espírito e missão do Fundador e dos desafios para ser, à luz de seu legado, uma presença significativa na sociedade hoje.

Após a celebração, todos se despediram dos peregrinos que de Aparecida e Caieiras, que eram maioria uma vez que a peregrinação era composta por membros da Família de Schoenstatt, romeiros e amigos do Santuário. Em alegre roda de conversa junto ao Santuário, daqueles que ficaram, marcou o encerramento da noite e o começo da missão do Ano Pe. José Kentenich.