terça-feira, 22 de março de 2016

SEMANA SANTA 2016 NO SANTUÁRIO DE SCHOENSTATT

20/03 - Domingo de Ramos – Procissão e Missa às 11 horas e 17 horas.

21/03 - Segunda-feira Santa – Rezar pelos Vivos e Mortos” - 17 horas.

22/03 - Terça-feira Santa – Suportar com paciência as pessoas
                                             molestas” - 17 horas.

23/03 - Quarta-feira Santa – Perdoar as ofensas” - 17 horas.

24/03 - Quinta-feira Santa – Obras de Misericórdia Corporais” - 17
                                               horas.
25/03 - Sexta-feira Santa:
            - Via Sacra às 10 horas no Santuário.
            - Celebração da Paixão – Consolar os aflitos” - 15 horas.
            - Procissão Luminosa saindo às 19 horas do Santuário Nossa
              Senhora de Lourdes em direção ao Santuário de Schoenstatt.

26/03 - Sábado Santo – Aconselhar os indecisos e ensinar os
                                       ignorantes” - 17 horas.


27/03 - Domingo de Páscoa – Admoestar os pecadores” - 11 e 17h.

terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

Mais amor para os “sub-humanos”

A pretexto do zika vírus e da microcefalia, artigo publicado nesta terça, 02/fev/2016, na Gazeta do Povo!
"A microcefalia se tornou o terror do momento. Até parece que agora é proibido pensar em engravidar, pois coisas terríveis e um futuro macabro esperam os pais que se arriscarem neste momento a planejar o aumento de sua família (não estou dizendo que todas as famílias não possam adiar um pouco seu plano de engravidar, mas a motivação não pode ser o medo)." ... "Sou pai de criança especial: uma menina com Síndrome de Angelman, que também tem sua circunferência da cabeça um pouco menor que a grande maioria, e por nada neste mundo quero perdê-la. Dou minha vida para que ela viva na sua fragilidade e dê muita alegria a este mundo por tudo que ela é e também não é."

sexta-feira, 30 de outubro de 2015

Convite: palestra sobre o Jubileu da Misericórdia

Participe da Escola Missionária e prepare-se para o Jubileu da Misericórdia!

Dia 08/11 às 15h30 no Santuário Tabor Magnificat.


sábado, 26 de setembro de 2015

sexta-feira, 25 de setembro de 2015

Domingo, dia 27/09, encontro de formação

Neste domingo teremos um encontro de formação com Ir. Nilza, das Irmãs de Maria, sobre os meios de comunicação à luz do pensar do Pe, José kentenich .

Início as 9h. com palestra e à da tarde haverá oficina de trabalho, encerrando às 16h.

Local: Santuário Tabor Magnificat, em Curitiba.

quinta-feira, 2 de julho de 2015

Terceira feira do Tricot de Jacutinga-MG

Feira do Tricot de Jacutinga-MG acontecendo no Santuário de Schoenstatt de Curitiba!!! Venha e confira!!! Tudo direto da Fábrica!!! A Feira acontece até domingo dia 05 de julho!!! Maiores informações pelo telefone: 41-3279-1391.

  • Horário: 9 horas às 18 horas.
  • 01 a 05 de julho.
  • Local Santuário de Schoenstatt.
  • Tem como objetivo ajudar na manutenção do centro de pastoral.



segunda-feira, 29 de junho de 2015

Santuário Tabor Magnificat comemorou Jubileu de Pérola

A festa dos 30 anos do Santuário de Schoenstatt, em Curitiba, que aconteceu no dia 17 de maio, foi preparada espiritualmente por todo o Movimento e pelos Romeiros e visitantes do Santuário, através de dois tríduos, um semanal e, o outro, três dias antes da festa. Em ambos os tríduos, após o ato penitencial das Missas das 17h foi lido um trecho da história do nosso Santuário, dividido em três décadas e cantado ou rezado o Magnificat.

No início do mês de maio colocamos numa das cantoneiras do Santuário, um recipiente com bilhetes contendo propósitos e estímulos a serem cumpridos. Ao lado, um livro chamado “Livro de Pérola”. Os romeiros e visitantes, após lerem uma breve explicação, podiam tirar um propósito e assinar o Livro. Estas assinaturas foram incluídas nas intenções das Missas solenes do dia da festa.

Houve uma boa colaboração, da parte dos romeiros e membros do Movimento, também nos preparativos materiais da festa.

Na sexta-feira, dia 15, Pe. Marcelo e Ignês Maria foram entrevistados pela Rede Vida, respondendo às perguntas que lhes eram feitas sobre a festa e sobre o histórico do Santuário. Esta entrevista, com uma filmagem muito bonita do nosso Centro, foi ao ar na mesma tarde, durante o jornal de notícias da emissora.

Dia 17, o grande dia festivo
Às 9h, à medida que os grupos de romeiros iam chegando, eram cordialmente acolhidos por membros do Movimento e conduzidos ao Santuário. Destacamos dois ônibus que traziam romeiros: um de Rio Negro e o outro da cidade de Porto Amazonas. Esta última foi o destino das duas Missões Familiares, feitas por Curitiba.

Foram celebradas duas Missas solenes, em ação de graças, no Auditório e Capela, ainda em construção, da futura Casa de Retiros, às 11h e às 17h. O ambiente foi ornamentado com muita graça.

Em ambas as celebrações havia, aproximadamente, cerca de 450 fiéis. Pe. Marcelo de Souza, Capelão do Santuário, como celebrante destas Missas, desempenhou muito bem o seu oficio. Nenhum dos três Bispos da Arquidiocese pode aceitar o convite devido aos compromissos de Crisma que já haviam assumido com as Paróquias.

Doze coroinhas e acólitos desempenharam o seu papel com muita unção e beleza. Na Missa das 11h, os coroinhas e acólitos vieram das Paróquias de São Jorge e de Porto Amazonas e na Missa das 17h, os coroinhas eram da Paróquia de São Rafael. M. Edlaine ajudou a ensaiar a equipe de cantos, cujos cantores eram membros do Movimento.

Antes do Hino de Louvor, houve uma entrada de objetos referentes à história jubilar, conduzidos por pessoas que vivenciaram o início da construção: miniatura do Santuário, foto ampliada dos alicerces do Santuário com Irmãs colocando blocos de pedras nele e uma grande pérola dentro da concha, em isopor.

Um só e vivo Magnificat
Na homilia, Pe. Marcelo fez um retrospecto histórico, enfatizando a missão de nosso Santuário como Tabor Magnificat. Concluiu sua reflexão com as palavras de nosso Pai:

“Nós agradecemos ao bom Deus por todo o bem que Ele nos concedeu. Estamos numa situação, como se a querida Mãe de Deus rezasse hoje, por nós, o Magnificat. Cada alma queira colocar nele, o que vivenciou e experimentou anteriormente em sentimentos e pensamentos neste lugar. Cada um de nós tem realmente motivos abundantes para deixar a Mãe de Deus rezar o Magnificat por nós. E assim, no final, queremos unir-nos mais uma vez. Um só grande e humilde Magnificat queremos fazer ressoar de nossos lábios. Assim, une-se nosso cantar terreno ao soar e cantar eterno, até que nos tornemos um vivo Magnificat, que na eternidade exalta a Mãe de Deus, exalta e glorifica o Deus Trino de eternidade à eternidade.” (Pe. José Kentenich – “Magnificat” pág. 47)

Durante as preces dos fiéis foram levadas à frente grandes letras que, unidas umas às outras, formaram a palavra tão bela e cara a todos: MAGNIFICAT e na procissão do ofertório foram levadas placas com os nomes dos Ramos e Comunidades de Schoenstatt, o Livro de Pérola e o Pão e Vinho.

No final da Santa Missa seguimos em romaria ao Santuário. Trinta pessoas levaram rosas vermelhas que foram ofertadas à Mãe de Deus no altar do Santuário e, após a bênção, o povo deu um grande abraço no aniversariante, formando um grande círculo ao redor do Santuário para, então, todos se consagrarem à Mãe de Deus cantando. Um bolo foi conduzido à frente do Santuário com as velinhas em forma do número 30. Este representava outro grande bolo que esperava os romeiros na praça de alimentação. Enquanto cantávamos os parabéns, o sino do Santuário repicou forte e uma chuva de fogos subiu ao céu. Pe. Marcelo, representando o Santuário, apagou as velas. Após a bênção final, o povo dirigiu-se à praça da alimentação e lá, no grande bolo que estava à espera de todos, estavam escondidas medalhas de nossa Mãe. Quem as encontrava em suas fatias, ficava muito feliz e realizado.

Foram distribuídos, como lembrança da festa, pequenos cartões com a imagem da Mãe de Deus e, colada neles, uma conchinha do mar com uma pérola. Completava o cartão a inscrição: “Teu coração, porta do céu, permanece para nós o refugio seguro.” Pe. José Kentenich.

Às 14h30, houve a recitação do terço meditado, no Santuário, preparado e conduzido pela Juventude. Às 16h, também em frente ao Santuário, aconteceu a bênção do Santíssimo Sacramento.

Aqui é bom estar!
Nos intervalos da programação, as Famílias da União acolhiam os Peregrinos nos jardins do Santuário, explicando às pessoas sobre a história de Schoenstatt e do Santuário, convidando para participarem dos Ramos e Comunidades ou dos Círculos de Aliança. É gratificante ver como as pessoas se sentem bem em nosso Santuário, fazendo elogios e agradecendo por terem este belo lugar em nossa cidade. A conhecida frase “Aqui é bom estar!”, resume perfeitamente o comentário dos peregrinos neste dia festivo.

Duas tendas completavam a estrutura do local. Em uma delas passava-se vídeos de Schoenstatt e do Santuário. Na outra, chamada de “Tenda do Pai”, instalada junto à Estátua do Pe. José Kentenich, divulgava-se a vida do Pai e Fundador através de vídeos, fotos e palavras em mensagens distribuídas. Os visitantes ganhavam balas de presente lembrando o costume, tão conhecido, do Pe. Kentenich ao receber as pessoas. A LAFS, responsável por esta Tenda, desempenhou muito bem o seu papel.

As crianças também tiveram um dia agradável com jogos recreativos e cama elástica que foram instalados pela Prefeitura Municipal.

Finalizamos o dia dando graças a Deus e cantando o Magnificat por tudo o que de belo este dia de pérolas nos fez vivenciar.


Ignês Maria Rubin




Nós construímos a cultura da Aliança

Publicação original em http://www.maeperegrina.org.br/nos-construimos-a-cultura-da-alianca/
Karen Bueno – “Começou uma nova época na nossa história. Repletos de espírito missionário, propomos a todas as pessoas, para além de todas as fronteiras – até às periferias da sociedade – a Aliança de Amor como caminho e esperança. Construímos assim uma abrangente cultura de aliança” (memorando do Congresso de Pentecostes 2015).
O desafio de formar uma cultura de Aliança é algo que inspira e motiva milhares de pessoas desde a fundação de Schoenstatt. Pouco antes da virada do século, e mais ainda neste novo tempo, a Família Internacional de Schoenstatt firma o compromisso de levar adiante o legado do Pai e Fundador, formando uma nova ordem social, como ele sonhava. Diversas iniciativas no mundo todo visam concretizar a cultura da Aliança em vários âmbitos sociais, em especial nas áreas de matrimônio e família, juventude, pedagogia, sociedade e Igreja.
Dentre todos esses trabalhos desenvolvidos, há os chamados Círculos da Aliança de Amor, que acontecem em várias cidades do Brasil. Eles são grupos de preparação para a Aliança, conduzidos pela Família de Schoenstatt nos locais. Por meio desses grupos, muitas pessoas podem conhecer melhor a espiritualidade de Schoenstatt e tomar parte na missão deixada pelo Pai e Fundador, como seus colaboradores.
A cidade de Curitiba/PR é um exemplo de local onde a experiência dos Círculos de Aliança ganha vida e enriquece a Obra de Schoenstatt. No ano passado, cerca de 40 pessoas da capital paranaense selaram a Aliança de Amor e muitas delas ingressaram nos ramos do Movimento Apostólico. Ao todo, quatro turmas são formadas por ano, duas no Santuário Tabor Magnificat – uma no primeiro e outra no segundo semestre – uma na Paróquia Santíssimo Sacramento e outro na Paróquia Sagrada Família.
Já há alguns anos que existe em Curitiba uma corrente de preparação dos romeiros para a Aliança de Amor, e com o centenário de fundação de Schoenstatt em 2014, esses grupos foram intensificados. “Depois do centenário chegou um grupo de pessoas querendo saber mais sobre a Aliança de Amor e como fazer para selá-la, pois viram muitas matérias na TV Canção Nova sobre a Obra de Schoenstatt. Nós explicamos como funcionava, então elas procuraram mais colegas e iniciamos uma nova turma no fim do ano”, conta Ir. Ignês Maria Rubin.
Mais corações para a missão
As reuniões do Círculo da Aliança são preparadas por membros do Movimento, e há grande participação em Curitiba. “A Família de Schoenstatt se reveza para dar essa preparação, assim os romeiros entram em contato com as comunidades e os ramos do Movimento, e muitos, depois da Aliança de Amor, decidem continuar em Schoenstatt, ingressando em alguma de nossas fileiras”, afirma Ir. Ignês Maria.
Renato Valentini se motivou a selar a Aliança após conhecer o carisma de Schoenstatt por meio da Comunidade Canção Nova. “Participo do Terço dos Homens há seis anos e sempre nos nossos encontros comentavam sobre a Aliança de Amor. Quando descobri que o Mons. Jonas Abib tinha se consagrado à Mãe e Rainha, me interessei em saber mais, isso também porque sou muito devoto de Nossa Senhora”. Renato selou a Aliança de Amor no mês de maio de 2015, e ele e a esposa, Verônica, ingressaram na Liga de Famílias de Schoenstatt e a filha nas Apóstolas Luzentes de Maria. “O Círculo da Aliança foi muito bom, aprendi muita coisa sobre a vida do Pe. Kentenich, sobre a formação pessoal, etc. Pela Aliança de Amor nos sentimos protegidos, nos apegamos à Mãe e damos uma resposta às palavras de Jesus quando ele diz: Eis aí tua Mãe”.
A jovem Heloísa Gusmão conta: “Há muitos anos eu visito o Santuário, e me veio esse desejo de fazer parte do carisma de Schoenstatt por meio da Aliança de Amor, por meio do Círculo, que é uma oportunidade de partilhar minha vivência cristã com outras pessoas que também têm a mesma devoção que eu e estarmos ali unidos no mesmo ideal. Algo que é muito forte e me chamou muito a atenção nesse Círculo é a escolha de um ideal de vida, por isso eu quis fazer parte”.
Heloísa tem 21 anos, selou a Aliança de Amor em dezembro de 2014 e hoje faz parte da Juventude Feminina de Schoenstatt: “A Aliança, como a própria palavra diz, é um sinal, como que uma marca que a gente coloca em todas as ações do nosso dia-a-dia. Tudo o que eu estiver fazendo durante a minha semana, tenho que me referir à essa Aliança de Amor que fiz com Nossa Senhora. Tudo aquilo que à primeira vista parece rotineiro, ganha um novo significado quando visto por meio da Aliança de Amor, é uma ressignificação de todas as minhas ações tendo em vista o ideal da Aliança”.
Em Curitiba, os romeiros são convidados a dar um próximo passo depois da consagração pela Aliança. Os casais do Instituto Secular de Famílias de Schoenstatt preparam aqueles que têm interesse para instituírem Santuário Lar, convidando a MTA à habitar suas casas como Mãe e Educadora.
“É tudo muito bonito! Queremos, com esse trabalho, formar uma cultura de Aliança entre os peregrinos como nosso Pai e Fundador gostaria”, diz Ir. Ignês Maria.
Para saber mais sobre os Círculo de Aliança de Amor entre em contato com os Centros de Schoenstatt espalhados pelo Brasil. Clique.

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Consagração do Matrimônio e Batizados

Quem deseja, especialmente para os recém-casados, pode buscar no Santuário ajuda para realizar a consagração do seu matrimônio à Nossa Senhora. Só precisa combinar com antecedência, de preferência pessoalmente no próprio Santuário.

Para os recém-batizados, também há a consagração das crianças todos os domingos.

No Santuário não realizamos casamentos e nem batizados pois o Santuário não é um paróquia. Dentro das atividades e objetivos da Pastoral do Santuário não está incluída a oficialização de Sacramentos. Matrimônio e Batizado devem ser recebidos na paróquia de frequência do cristão ou seus pais. Na paróquia terão seu registro e receberão um documento de confirmação dos mesmos. No Santuário podemos, após a recepção do sacramento do matrimônio, realizar a consagração do mesmo. Assim como dos batizados.